CONFIRA

Cientistas criam os primeiros robôs vivos


Tiram suas células-tronco, as máquinas têm menos de um milímetro de largura – – pequeno o suficiente para viajar dentro de corpos humanos.

Semanas sem comida e trabalhar em grupos. Essas são ‘formas de vida inteiramente novas’, disse a Universidade de Vermont, que conduziu a pesquisa com a Universidade Tufts.

Os pesquisadores coletaram células-tronco vivas de embriões de sapos e as deixaram para incubar. Então, as células foram cortadas e remodeladas em ‘formas corporais’ específicas, projetadas por um supercomputador – são formas “nunca vistas na natureza”, segundo um comunicado da Universidade de Vermont.

Pele unidas para formar a estrutura, enquanto as células musculares cardíacas pulsantes permitiam que o robô se movesse por conta própria. Os Xenobots têm até capacidade de auto-recuperação; quando os cientistas cortaram um robô, ele se curou sozinho e continuou em movimento.

Elas não são um robô tradicional, nem uma espécie conhecida de animal. É uma nova classe de artefato: um organismo vivo e programável.

Tradicionais – eles não têm engrenagens brilhantes ou braços robóticos. Em vez disso, eles se parecem mais com uma minúscula bolha de carne rosa em movimento. Os pesquisadores dizem que isso é deliberado – essa ‘máquina biológica’ pode conseguir coisas que os robôs típicos de aço e plástico não conseguem.

Postar um comentário

0 Comentários